Doceria Abuela: empreendedorismo que começou dentro de casa

“Minha avó, como muitas avós, sempre gostou muito de cozinhar. Na verdade, acho que essa era uma das formas favoritas dela de demonstrar carinho e cuidado. E, como morei com ela boa parte da minha vida, vivi muito essa rotina de fazer pão, bolo e tortas em casa”. Assim, começou o interesse de Fernanda Machado (26) pela confeitaria. Fernanda é psicóloga, mineira de Belo Horizonte e cresceu no Espírito Santo, em um pequeno bairro na beira da praia, chamado Coqueiral. Em 2012, volta para a capital mineira para fazer faculdade.

O interesse pela confeitaria se tornou uma nova fonte de renda durante o curso de Psicologia, quando começou a vender os doces para amigos próximos e colegas de turma, e fundou a “Abuela” no início de 2017. “Bolos, tortas, cookies e brownies. No fim da faculdade, veio a necessidade de ganhar um dinheirinho extra, então meus amigos começaram a sugerir que eu vendesse os meus doces”, conta Fernanda.

Além de ser a doceira oficial da família e das próprias festas de aniversário, Fernanda estuda há um tempo a confeitaria para conhecer as técnicas e aprimorar seu trabalho. Apesar de colocar a mão na massa há anos, a psicóloga (e doceira) sentia insegurança em se dispersar da faculdade durante os anos de estudo. “Estive em projetos de iniciação científica e de extensão durante a maior parte do curso. Então, além de não ter muito tempo pra investir nisso, eu tinha alguma outra fonte de renda, que eram as bolsas de pesquisa”, fala.

“Tirar fotos do processo de confecção, fazer postagens com uma certa frequência para manter a atenção dos clientes, além de divulgar a filosofia que tenho por trás do meu trabalho […]”

Atualmente, Fernanda mantém uma página no Facebook para divulgar a “Abuela”, e recebe as encomendas por whatsapp ou pessoalmente. A confeiteira pensa em dedicar um tempo maior ao planejamento das postagens, porque a propaganda mais efetiva do seu negócio ainda é feita boca a boca. “Meus amigos e minha família encomendam, quem experimenta pergunta quem faz e assim as pessoas chegam até mim”, explica. Os planos para o futuro são fazer cursos de confeitaria e trabalhar mais a questão da fanpage, o que Fernanda acredita ser um ótimo recurso para atrair clientes. “Tirar fotos do processo de confecção, fazer postagens com uma certa frequência para manter a atenção dos clientes, além de divulgar a filosofia que tenho por trás do meu trabalho. Fazer etiquetas que estejam sempre nos meus produtos, com o meu contato e informações. Fazer cartão, fazer parcerias com padarias e lanchonetes”, planeja.

E, você? Gostou dessa história? Conhece alguém que tem seu próprio negócio e tem vontade de contar sua trajetória? Fale com a gente! Estamos no Facebook e também no Instagram! Você tem vontade de empreender também? Se inspire nos nossos personagens semanais! A série continua na próxima terça-feira!

 

Um comentário sobre “Doceria Abuela: empreendedorismo que começou dentro de casa

  1. Fernanda, que surpresa!
    Tive a oportunidade de ter contato com Fernanda no hospital das clínicas. Uma jovem sensível, responsável, determinada e estudiosa.
    Que surpresa! Nunca me falou dessa habilidade. Quero experimentar .
    Parabéns! Boa sorte.
    Egínia

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s